sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Aberto o Edital para Auxílio de Viagem Acadêmica (AVA)


Locomover-se até outras cidades para participar de congressos, custeando passagens, hospedagem e alimentação, para muitos estudantes, é um grande obstáculo.  Por esse motivo, a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Universidade Federal do Pará (UFPA) lançou o edital de concessão de Auxílio à Viagem Acadêmica (AVA). Para acessar o documento completo, clique aqui.
O valor do benefício alterna de R$ 500,00 a R$ 1.300,00, de acordo com o destino do estudante. As solicitações devem ser realizadas, no mínimo, 30 dias antes do evento. O edital permanecerá em vigor até o dia 16 de outubro de 2017.
Preferência - A proposta do benefício é custear passagens e ajuda de custo a estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação, preferencialmente em situação de vulnerabilidade socioeconômica, os quais obtiveram aprovação de trabalhos em eventos nacionais.
O edital também tem o objetivo de estimular a produção científica por meio da submissão de resumos, seja na forma de comunicação oral, pôster, seja  em oficinas em eventos acadêmicos.
Requisitos - Para participar, o estudante deve estar regularmente matriculado em um curso de graduação da UFPA e enquadrar-se nas seguintes condições: ter trabalho aprovado, comprovado por carta de aceite; apresentar Coeficiente de Rendimento Geral (CRG), a partir de 5; não ter pendências com a Proex; ter preenchido completamente o questionário socioeconômico do Sistema Gerencial de Assistência Estudantil (Sigaeste); possuir conta bancária própria.
Durante a solicitação do auxílio, efetuada via SIGAeste, o interessado deve apresentar a cópia dos documentos exigidos no edital. Acesse aqui a lista com a documentação.
Serviço:
Proex lança Edital para Auxílio de Viagem Acadêmica (AVA)
Data de vigência: Até o dia 16 de outubro de 2017.
Data de solicitação: No mínimo, 30 dias antes do evento.
Para realizar a solicitação, clique aqui.
Texto: Edielson Shinohara - Assessoria de Comunicação da UFPA.
Foto: Ascom-UFPA

Proex lança Edital de Apoio à Realização de Eventos Estudantis

A Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Universidade Federal do Pará (UFPA) tornou público o Edital de Apoio à Realização de Eventos Estudantis. As propostas devem ser efetuadas pelos Centros Acadêmicos (CAs) ou pelas demais entidades de representação estudantil dos cursos de graduação da Universidade, no prazo mínimo de 60 dias antes do evento. Confira as regras, aqui.
O benefício possui abrangência nas esferas locais, regionais, nacionais ou internacionais e é destinado para o intercâmbio didático-científico ou político-acadêmico. Os valores alternam entre R$5 mil e R$45 mil, conforme sua proporção. O edital possui vigência até o dia 30 de outubro de 2017.
Solicitação - Primeiramente, os solicitantes deverão aceitar as regras estabelecidas no Termo de Compromisso disponível na Plataforma Santos, clicando aqui. Em seguida, é preciso apresentar, via anexa no site, a documentação exigida no Edital. Os resultados serão publicados na Plataforma, no prazo máximo de até 20 dias úteis após a solicitação.
Auxílio - O incentivo é destinado ao financiamento de passagens nacionais para palestrantes e sua hospedagem durante o período do evento; alimentação dos discentes participantes do evento pelo Restaurante Universitário (RU); aluguel de equipamentos audiovisuais; contratação de serviços para divulgação e reprodução do evento e dos trabalhos técnicos; confecção de banners, faixas de divulgação, pastas para participantes, confecção de anais por meio eletrônico, material de consumo e serviços de sonorização.
Serviço
Edital de Apoio à Realização de Eventos Estudantis
Data de vigência: Até o dia 30 de outubro de 2017.
Data de solicitação: No mínimo, 60 dias antes do evento.
Submeta sua proposta, aqui.
Acesse aqui o Edital completo.
Texto: Edielson Shinohara - Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Adolfo Lemos

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Prointer realiza programa de acolhimento de estudantes estrangeiros

Estudar em outro país é uma escolha muito desafiadora. Contar com alguém que possa ajudar o estudante nesse período inicial de sua vida no exterior é de fundamental importância. Por isso a Diretoria de Mobilidade Acadêmica Internacional (MAI), vinculada à Pró-Reitoria de Relações Internacionais (Prointer), abre inscrições para quem deseja ser padrinho ou madrinha de um estudante internacional.
Podem candidatar-se para receber alunos estrangeiros: estudantes de graduação ou de pós-graduação; servidores técnicos e docentes vinculados à Universidade Federal do Pará. Os interessados devem fazer seu cadastro na MAI e, à medida que os estudantes forem chegando, os padrinhos e as madrinhas serão convocados. Os padrinhos e as madrinhas devem possuir domínio intermediário da língua do estudante, a fim de facilitar a comunicação com os novos afilhados. A inscrição no programa de padrinhos/madrinhas tem duração de um ano, uma vez que a UFPA recebe estudantes oriundos de diferentes países ao longo de todo o período letivo.
Funções dos padrinhos - Os novos padrinhos devem auxiliar seus afilhados e explicar questões como a localização da UFPA; linhas de ônibus que dão acesso ao Campus do Guamá; como se mover no campus; localização da Reitoria, da Prointer, do CIAC, do Restaurante Universitário, entre outras.
Também é muito importante que os padrinhos/madrinhas auxiliem em relação ao seu registro e documentação na Polícia Federal, já que o estudante deverá comparecer à PF no prazo máximo de trinta dias após sua chegada ao Brasil, para regularizar sua situação como estudante.
Sugestões - De acordo com a professora Marília Ferreira, coordenadora da MAI, é aconselhável que o novo padrinho incentive o estudante a falar português. “Eles precisam aprender a língua do país para acompanhar as aulas, fazer novas amizades, tornar-se mais independente, bem como sentir-se mais seguro para realizar as suas atividades”, explica.
Para mais informações, entre em contato com a Diretoria de Mobilidade Acadêmica Internacional por meio do e-mail mai.ufpa@gmail.com ou pelos telefones (91) 3201-7211 / 3201-7330.
Texto: Caio Maia – Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Arquivo/Ascom – Alexandre Moraes
Publicado em: 15.02.2017 18:00

Universidade cria órgão voltado para a Assistência Estudantil

Todos os dias mais de 50 mil pessoas frequentam o campus da Universidade Federal do Pará (UFPA) apenas em Belém. Professores, técnico-administrativos, visitantes e estudantes formam a comunidade universitária da Instituição, com destaque para os alunos que compõem a maioria do grupo. Pensando em todos eles, a Universidade acaba de criar um novo órgão voltado especialmente para a assistência estudantil.
De acordo com o reitor Emmanuel Tourinho, a administração superior da UFPA ainda está trabalhando para estabelecer os marcos institucionais do órgão criado pela nova gestão, mas a intenção é que a futura Superintendência de Assistência Estudantil, nascida a partir da Diretoria de Assistência Estudantil da Pró-reitoria de Extensão (Proex) da Universidade ajude no desenvolvimento das pessoas que “vivem” a UFPA e da própria Instituição em si.
“Criamos a Assessoria de Assistência Estudantil ou Superintendência de Assistência Estudantil, diretamente vinculada ao Gabinete do Reitor, com o propósito de aprimorar as políticas nessa área e garantir melhor suporte aos estudantes em condição de vulnerabilidade socioeconômica, a fim de que permaneçam na Instituição e concluam seus cursos com êxito”, detalha o reitor.
Apoio a alunos agora em um só lugar - A nova Superintenência de Assistência Estudantil congrega vários órgãos já ligados às ações que buscam ajudar na permanencia dos estudantes, especialmente da graduação, nos cursos. Além das coordenadoria de Integração Estudantil e da Coordenadoria de Assitência Estudantil, a nova superintendência também congregará a adminsitração dos Restaurantes Universitários (RUs), antes ligada à Pró-reitoria de Administração (Proad), e o antigo Núcleo de Inclusão Social (NIS), nascido na Pró-reitoria de Ensino de Graduação (Proeg).
O novo órgão será uma referência aos estudantes que precisam de apoio para garantir sua permanência no Campus e nos cursos. “As coordenadorias já existentes continuam estruturadas para oferecer serviços diversos e manter o funcionamento do Programa de Bolsas Permenência. Mas agora, também, poderemos reunir as políticas voltadas para a alimentação no campus, que é algo essencial para os estudantes, e ainda as ações especialmente pensadas e postas em prática para as pessoas com deficiência que são universitários da UFPA”, adianta José Maia, atual diretor do órgão que deve também dirigir a nova superintendência.
Garantir permanência de alunos é prioriadade - José Maia reforça, ainda, que a criação do órgão e a sua ligação direta com o Gabinete da reitoria reconhecem a importância do tema para a UFPA e o trabalho que, em várias frentes, já está em andamento, mas que precisa ser sempre aperfeiçoado para garantir condições para que os alunos da Universidade possam ter e estar em condições para estudar.
“Estamos, agora, em um novo nível e condição e poderemos gerenciar melhor a política de permanência dos nossos estudantes. A iniciativa da Reitoria é já uma resposta ao que foi proposto na última campanha, quando o reitor já pensava na importância da graduação e de apoiar os nossos alunos. Isso, também, considerando que mesmo quando eramos apenas uma diretoria já tinhamos demandas, recursos e estrutura de um órgão importante institucionalmente”, revela o futuro superintendente.
Por hora, os atendimentos ligados à assitência estudantil continuam sendo feitos nas sedes da Proex, RU e NIS, mas a administração da nova Superintendência deve ser transferida para outro espaço e os atendimentos aos alunos possivelmente serão concentrados em pavilhões de aula do Campus Básico, após a desocupação dos mesmos e transferência das aulas para o novo prédio de aulas, sediado próximo à Biblioteca Central da UFPA.
Texto: Glauce Monteiro – Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Arquivo/Ascom- Alexandre Moraes
Publicado em: 15.02.2017 18:05

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Educação em Angola:realidade,desafios e perspectivas



No ultimo dia 06 de fevereiro a Casa Brasil-África (CBA) da UFPA realizou, o Colóquio “Educação em Angola: realidade, desafios e perspectivas”, ministrado pela professora doutora Juliana Canga, do Instituto Superior de Serviço Social (ISSS) de Luanda, Angola.
Coordenada pelo professor doutor Hilton Silva (PPGSA/IFCH), a Casa Brasil-África tem investido no diálogo com pesquisadores de instituições de países africanos na perspectiva de fortalecimento de parcerias, desenvolvimento de projetos acadêmicos em rede e criação do Mestrado em Estudos Africanos e Afro-diaspóricos.
O Colóquio contou com a coordenação da Doutoranda Joana Carmen do Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Educação (PPGED) e da professora doutora Jacqueline Serra Freire do Grupo de Pesquisa em Educação e Cooperação Sul-Sul (ELOSS) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), atualmente em estágio pós-doutoral no Programa de Pós-graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica (PPEB), esse último envolvido no apoio ao Colóquio.
Realizado no auditório do Instituto de Ciências da Educação (ICED), o Colóquio contou com a presença da Coordenadora do PPGED, professora doutora Vera Jacob, da Coordenadora da Faculdade de Educação, professora doutora Selma Pena. O Colóquio foi organizado pela casa Brasil-África integradamente com o Grupo de Pesquisa em Trabalho e Educação (GEPTE), liderado pelo professor doutor Ronaldo Marcos de Lima Araújo, também coordenador do PPEB, e o Grupo de Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia (GEPERUAZ), liderado pelo professor doutor Salomão Mufarrej Hage.
Palestra – Em sua palestra a pesquisadora Juliana Canga (ISSS/Luanda) apresentou o contexto histórico, econômico, político e social de Angola, com ênfase na luta pela libertação e independência na década de 1970 ao momento presente, situando o país na geopolítica da África e o complexo cenário nacional. A partir de então a abordagem foi focalizada na realidade educacional de Angola problematizando as reformas educativas, os princípios gerais da educação e do ensino angolano, o sistema educacional do país, seus desafios e perspectivas. Os argumentos da pesquisadora angolana reafirmaram o quanto Angola e Brasil estão irmanados pela história, cultura e educação.
Participações – turmas de Pedagogia do Parfor e do Campus de Belém prestigiaram o Colóquio e participaram ativamente do debate pautando questões sobre diversidade, gênero, realidade da educação superior em Angola. A doutoranda do IEMCI, Ruth Buza, angolana, teve participação destacada no debate. Bolsista e Colaboradores da Casa Brasil-África, beninense Serge Houegnon, Henrique Vieira e a angolana Cleide Patricia de Sousa Fernandes marcaram presença e contribuíram no Colóquio.
Fonte:http://casaafricabrasil.blogspot.com.br/

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Quadrinhos Africano Pai D’égua é tema de debate nesta quinta, 02

A história em quadrinhos Africano Pai D’égua, projeto desenvolvido pela Casa Brasil-África da UFPA, é o tema da palestra a ser ministrada nesta quinta-feira, 02 de fevereiro, na 3ª edição da Semana do Quadrinho Nacional. Em parceria com a Pró-reitoria de Relações Internacionais (Prointer) e o Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), a obra aborda questões raciais de forma instrutiva, proporcionando à comunidade acadêmica, entre outros aspectos, um olhar inclusivo à cultura afro-brasileira. O evento ocorre a partir das 18h30, na Biblioteca Pública Arthur Viana, no 3º andar da Fundação Cultural do Pará, o Centur, na avenida Gentil Bittencourt, Batista Campos, Belém.
O evento iniciou-se na última segunda-feira, 30 de janeiro, e está promovendo diversas atividades, como oficinas, palestras e bate-papos com desenhistas, cartunistas, ilustradores e quadrinistas locais. A programação é gratuita e aberta ao público.
Palestra - Com início marcado às 18h30, os realizadores do projeto apresentarão ao público as principais características da história em quadrinhos, assim como sua criação. Outro tópico a ser abordado será o uso dos quadrinhos em projetos educativos, evidenciando maneiras divertidas e joviais de instruir e democratizar o currículo escolar.
“Inicialmente, nós entrevistamos alunos africanos da UFPA, cada um falando sobre seu país. A linguagem em quadrinhos pode atender diversas funções, como educação e comunicação. Como linguagem ela ultrapassa a questão do entretenimento”, ressalta o professor Ricardo Harada.
A UFPA investe, desde 2015, nesta linguagem diversificada. Outros projetos, como o Guia de Orientação Acadêmica e Ensinando a Prevenir o Câncer de Pulmão e de Colo Uterino também fazem parte da coletânea em quadrinhos lançada pela Federal Paraense.
Diversidade - A Semana do Quadrinho evidencia, nesta edição, as diversas funções, as quais as histórias em quadrinhos podem apresentar. “Dentro dos quadrinhos de ficção há inúmeros ramos que precisam ser conhecidos, como quadrinhos conceituais poéticos, e até linguagens visuais baseadas em costumes diferentes, como é o caso do Mangá”, conta. 
Equipe - O projeto é coordenado pelo professor Hilton Pereira da Silva e tem o roteiro e seu projeto gráfico assinado pelo professor Ricardo Harada Ono. Os desenhos foram criados pelo produtor de quadrinhos e desenhista Volney Nazareno, com a equipe de coloração formada por Eliezer França do Aido, que também assina a arte final, e Moaccyr Kalley Pinheiro Costa. A revisão final foi realizada por Marcelo Galvão Baptista e Sílvio Augusto de Oliveira Olanda.
Serviço:
Projeto Africano Pai D’égua, da UFPA, é tema de palestra na Semana do Quadrinho Nacional.
Data e horário: Quinta-feira, 02 de fevereiro de 2017, a partir das 18h30.
Local: Biblioteca Pública Arthur Viana, no 3º andar da Fundação Cultural do Pará, localizada na av. Gentil Bittencourt, 650, bairro Batista Campos.
Texto: Edielson Shinohara - Assessoria de Comunicação da UFPA.
Ilustrações: Divulgação
Publicado em: 01.02.2017 18:00