domingo, 19 de novembro de 2017

20 de Novembro com Festival de culturas africanas e quilombolas na UFPA



No dia da Consciência Negra deste ano (20/11/2017), a Casa Brasil-África preparou uma programação especial voltada à divulgação e reflexão das culturas africanas e afro-diaspóricas, trata-se do Festival das Culturas Africanas e Quilombolas na UFPA. Não fique de fora, participe!
















quinta-feira, 16 de novembro de 2017

I Colóquio Internacional de Estudos Africanos e Diaspóricos na Amazônia


    É com muito prazer que a Casa Brasil África convida todos para o I Colóquio Internacional de Estudos Africanos e Diaspóricos na Amazônia: “Estudos Africanos, Diásporas e Educação para as Relações Étnico-Raciais em Foco na Amazônia”. Este evento é fruto de diversas parcerias. O Colóquio fortalece a iniciativa de construção do Programa de Pós-graduação em Estudos Africanos e Afro-Diaspóricos (PPGEAAD). Contamos com a presença da comunidade acadêmica para que, cada vez mais, avancemos nas discussões.

Abaixo a programação do evento:




Aqui o link para pré-inscrição: <https://goo.gl/forms/cPuCWqAxPRzUt0Ew2>


quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Bolsa Permanência recebe inscrições para ajuda financeira a alunos indígenas e quilombolas

Bolsa Permanência recebe inscrições para ajuda financeira a alunos indígenas e quilombolas
"O Programa Bolsa Permanência (PBP), do MEC, está com inscrições abertas para o segundo semestre. A ajuda financeira é destinada a alunos das comunidades indígenas e quilombolas matriculados em Instituições de Ensino Superior. Os estudantes interessados em participar do processo seletivo devem se inscrever pelo site do MEC, até o dia 29 de setembro."



Estudantes Estrangeiros, Quilombolas e Indígenas Conquistam Sedes de suas Associações na UFPA

A Casa Brasil-África (CBA) parabeniza as Associações dos Estudantes Estrangeiros, Quilombolas e Indígenas pela importante conquista das salas dedicadas às suas sedes. As obras no "Pavilhão da Inclusão", como o reitor chamou o Bloco D, representam o início da realização de antigas reivindicações da CBA junto a administração para que a universidade criasse um espaço de convivência, onde os estudantes e visitantes, nacionais e estrangeiros, os centros de línguas e as diversas Casas internacionais da universidade, pudessem se integrar e compartilhar conhecimentos e experiências, em um ambiente democrático e livre de racismo e xenofobia. A consolidação das Associações e o maior envolvimento dos estudantes internacionais, quilombolas e indígenas no cotidiano da universidade serão de fundamental importância para a garantia do respeito à diversidade e o crescimento de nossa instituição. Contem sempre com o apoio da CBA.






segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Rua de Leitura: atividades em alusão ao mês da Consciência Negra


“Dos filhos deste solo és mãe gentil Pátria amada Brasil [...]”?

É com este questionamento que o Espaço Cultural Nossa Biblioteca, localizado no Bairro do Guamá, realizará uma série de atividades em alusão ao mês da consciência negra. A Casa Brasil-África da UFPA, juntamente com outras instituições, tem o prazer de apoiar esta iniciativa que teve sua abertura no dia 04 de novembro, sábado anterior, e se encerrará no dia 01 de dezembro. Fique atento para a programação que será divulgada aqui durante todo o mês de novembro. Participe!


Fotos da abertura (04/11/2017):









LANÇAMENTO VIRTUAL DO LIVRO "EDUCAÇÃO SUPERIOR, DESENVOLVIMENTO E COOPERAÇÃO SUL-SUL"


Resultado de parceria entre a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), a Universidade do Minho (UMinho), a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) e a Universidade Federal do Pará (UFPA), e fruto de um diálogo que se espera ser continuado e frutífero entre pesquisadores de países de língua Portuguesa, os leitores e as leitoras podem dispor, para download gratuitamente, do livro "Educação Superior, Desenvolvimento e Cooperação Sul-Sul". Trata-se de uma importante obra que, pela sua dimensão e temática, poderá contribuir efetivamente para a materialização dos objetivos da Associação Internacional de Ciências Sociais e Humanas em Língua Portuguesa (AILPcsh) e da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), além de ser uma força motriz a impulsionar novas ações da cooperação interuniversitária Sul-Sul, num âmbito multilateral e numa perspectiva de continuidade.
A Casa Brasil-África (CBA) participa do livro com o capítulo "O Programa de Estudante-Convênio de Graduação (PEC-G), a Experiência da Casa Brasil-África e a Internacionalização na Universidade Federal do Pará", de autoria de Henrique V. Moreira, Assistente Social, ex-bolsista da Casa Brasil-África e da Diretoria de Assistência Estudantil da Pró-reitoria de Extensão da UFPA e Hilton P. Silva, Coordenador da Casa (CBA).

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Delegação da UFPA Promove Seminário Preparatório para a VII Edição do Simpósio Internacional sobre a Juventude Brasileira - JUBRA

Entre os dias 10 a 15 de agosto de 2017, Fortaleza sediará o VII Simpósio Internacional sobre a Juventude Brasileira – JUBRA  http://jubra2017.com.br , evento científico que congrega pesquisadores, professores brasileiros e estrangeiros, profissionais, estudantes, jovens, gestores públicos e agentes comunitários para a discussão de pesquisas, programas e projetos sociais referentes à juventude. A programação alia atividades científicas, artísticas e de formação, tais como Grupos de Trabalho para comunicações orais e mesas-redondas, Simpósio acadêmico, além de mostra audiovisual, exposição fotográfica e apresentações culturais, debatendo os mais diferentes aspectos das situação da juventude no país e, principalmente, a garantia de seus direitos e bem-estar.
Como empreendimento construído coletivamente pela sociedade e a academia, o VII JUBRA dá continuidade aos esforços das edições anteriores ocorridas no Rio de Janeiro (2004), no Rio Grande do Sul (2006), Goiás (2008), Minas Gerais (2010), Pernambuco (2012) e novamente no Rio de Janeiro (2015). O tema este ano é Juventudes: movimentos, experiências, redes e afetos. Segundo os organizadores, a noção de “movimentos” remete tanto aos deslocamentos físicos empreendidos por jovens nos diferentes espaços da cidade e do campo, quanto aos deslocamentos simbólicos vividos por eles, que dinamicamente se engajam em projetos pessoais e coletivos, buscando seu lugar no mundo, transformando-se e transformando outros, questionando o marasmo que reduz suas possibilidades de existência. Ainda segundo os organizadores, o encontro quer abraçar as diversas perspectivas do jovem sobre sua vida e também o que se diz sobre o jovem entre pesquisadores, gestores e outros que atuam com segmentos juvenis, trocando experiências múltiplas e juntando forças para construir horizontes mais largos e felizes em nosso país. Historicamente, o JUBRA vem contribuindo na pesquisa, no melhoramento das políticas públicas e nos mais diversos espaços de cuidado e proteção à juventude no Brasil e compartilhado experiências com diversos outros países.
A Participação da UFPA no JUBRA Este ano, um número recorde de trabalhos científicos oriundos da UFPA será apresentado no JUBRA. Foram 38 trabalhos aprovados, de diversos institutos, e a Universidade enviará, pela primeira vez, uma delegação que inclui estudantes quilombolas, indígenas e africanos, em um ônibus próprio para participar do evento. Devido a importância do JUBRA, desde o início deste ano, diversos segmentos da Universidade como a Casa Brasil-África (CBA), o Grupo de Estudos Afro-Amazônico (GEAM), o Grupo Conexões de Saberes, o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho e Educação (GEPTE), o Grupo de Pesquisa Aldeia, Cidade e Patrimônio/Campus de Altamira, o Grupo Nós Mulheres, o Programa de Pós-Graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica (PPEB), o PIBID/Pedagogia, o Laboratório de Antropologia Arthur Napoleão Figueiredo/IFCH, a Associação de Estudantes Quilombolas, a Associação de Estudantes Indígenas, a Associação dos Estudantes Estrangeiros, e o DCE vem trabalhando para estimular a participação dos diversos segmentos da UFPA no evento e organizar a preparação e submissão dos trabalhos e, com o apoio da Proex e da Prointer, a logística da viagem a Fortaleza.
Como última etapa da preparação da equipe, nesta terça-feira, dia 8 de agosto, das 8:30 às 17h, na Sala de Audiovisual do Laboratório de Antropologia Arthur Napoleão Figueiredo (anexo ao IFCH) será realizada a Jornada Pré-Jubra, no qual todos os trabalhos aprovados serão apresentados e discutidos com professores e pesquisadores da Universidade, visando a garantir uma participação de alto nível para nossa delegação em Fortaleza. Além da apresentação dos trabalhos liderados pelos estudantes, a UFPA também participa do VII JUBRA no Simpósio 2 - Eixo “Jovens Negros: Diásporas, Práticas Institucionais e Regimes de Visibilidade", que contará com a participação da Pós-doutoranda da UFPA Jacqueline Cunha da Serra Freire, coordenadora do Grupo de Pesquisa Educação e Cooperação Sul-Sul – ELOSS/UNILAB - que dirigiu a organização dos coletivos da UFPA, no Simpósio 6 - Eixo “Juventudes e Movimentos Sociais”, que contará com a participação do Prof. Ronaldo Marcos Lima de Araújo, do PPEB/ICED, no GT Juventudes Indígenas: Construções Identitárias e Mobilizações Sociais, que tem entre seus coordenadores o Prof. Assis de Oliveira, do campus de Altamira, e no GT Juventudes sem Fronteiras: Diásporas, Migrações e Mobilidades Juvenis, que tem entre seus coordenadores o Prof. Hilton P. Silva, da Casa Brasil-África. Serviço: Evento: Jornada Pré-Jubra da UFPA Data e hora: Dia 8 de agosto, Terça-feira, das 8:30 às 17h, Local:Sala de Audiovisual do Laboratório de Antropologia Arthur Napoleão Figueiredo (anexo ao IFCH). *O evento é gratuito e aberto a todos os interessados.
Fonte: http://ifch.ufpa.br/index.php/noticias/3133-jornada

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Seleção para bolsista estagiário/a



OBS: Devido problemas técnicos, o edital será postado no Portal da CBA somente na segunda-feira, dia 31 de julho de 2017.

Procurando dar prosseguimento ao processo de inclusão de minorias sociais e seguimentos da sociedade historicamente excluídos, a atual gestão superior realizará no dia 07 de agosto de 2017 o Seminário Processo Seletivo Especial 2017 que terá como objetivo ser um espaço de diálogo e participação da comunidade acadêmica, em conjunto com representantes da sociedade civil organizada, para aperfeiçoar o Processo Seletivo Especial (PSE).
Nos últimos anos, a UFPA tem apresentado Políticas de Ações Afirmativas em várias de suas ações e Processos Seletivos, dentre os quais, destacam-se os Processos Seletivos Especiais em cursos de graduação, o sistema de cotas nos cursos de graduação e em alguns programas de pós-graduação da universidade. Estas iniciativas têm causado profundas transformações na UFPA e tem sido causa de avanços na construção de uma universidade e sociedade plural e diversa.
A proposta do presente Seminário tem como mote o fortalecimento e aperfeiçoamento das Ações Afirmativas e está inserida no projeto da gestão superior apresentado ainda em campanha eleitoral, a saber, viabilizar e promover maior eficiência no trato da diversidade social através de ampla participação de todas e todos, em diferentes níveis, nos processos decisórios e metas a serem alcançadas pela Universidade.   

O evento ocorrerá no dia 07 de agosto de 2017, no auditório do Instituto de Ciências da Educação (ICED/UFPA), no Campus Profissional da Cidade Universitária José da Silveira Neto, no Guamá, Belém, Pará, e é aberto ao público. No evento será apresentada a Assessoria de Diversidade da UFPA e pretende-se que ao final do mesmo haja a indicação de críticas e propostas para o PSE 2017 a serem apresentadas em sessão plenária.

*Haverá Emissão de Certificados;
*Evento Gratuito;
*Inscrição no dia do Evento.


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Delegação da UFPA participa do 28º Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa

  • Publicado: Quinta, 13 de Julho de 2017, 18h07 no site da UFPA
Hilton Silva 746x423
O XXVII Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP) reuniu cerca de 100 participantes entre dirigentes e acadêmicos, de diversas Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas de língua oficial portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste, e também a ilha de Macau, na China). O evento iniciou-se na última segunda-feira, 10 de julho, e terminou nesta quarta-feira, 12, no Centro de Convenções da Universidade de Campianas (Unicamp), em Campinas, SP.
A Associação promove a colaboração multilateral, cooperação e troca de informações entre as IES lusófonas, cujos dirigentes apresentam seus principais avanços institucionais no âmbito da internacionalização e das colaborações acadêmicas e científicas. Este ano, o tema central foi “Confluências de Culturas no Mundo Lusófono: Trocas – Discursos – Transformações - Rotas”.
Edson Judite Hilton e Silvia 373x212A delegação da UFPA foi composta pelo professor doutor Claudio Szlafstein, representando a Prointer; Hilton P. Silva, coordenador da Casa Brasil-África; e Silvia Almeida e Edson Ramos, do Programa de Pós-Graduação em Segurança Pública.
A delegação da UFPA participou do evento com a apresentação de três trabalhos: A UFPA no circuito de cooperação Sul-Sul: internacionalização, integração regional e políticas institucionais, de autoria dos professores Gilmar Pereira da Silva, Marcelo Galvão-Baptista, Ronaldo Marcos Lima Araujo e Hilton P. Silva (UFPA) e Jacqueline Serra-Freire (UNILAB), e apresentado pelo Coordenador da Casa Brasil-África; Delinquência juvenil na cidade da Praia, Cabo Verde, de autoria dos profs. Silvia Almeida e Edson Ramos, apresentado pela professora Silvia; e Indicadores da violência urbana na cidade da Praia, Cabo Verde: o caso da Zona Norte, de autoria de Edson Ramos, Silvia Almeida, Thays Santos e Isis Souza, apresentado pelo professor Edson Ramos.
Entrega de livros ao Pres da AULP 373x212Durante o Encontro, a delegação da UFPA apresentou ao presidente da Associação, professor Rui Martins, reitor da Universidade de Macau, os livros lançados pelo PPGSP em parceria com a Universidade de Cabo Verde (Uni-CV); encontrou o reitor da Unícamp, Marcelo Knobel, e com a reitora da Universidade de Cabo Verde, Judite Nascimento; reuniu-se com a delegação de Angola para tratar sobre potenciais cooperações com uma rede de IES públicas e privadas angolanas na construção de programas de pós-graduação conjuntos nos campos da segurança pública, estudos africanos e diaspóricos, direito, saúde, engenharias e formação de professores.
A perspectiva é reforçar cada vez mais as relações da UFPA com os países da CPLP e oportunizar a estudantes e professores africanos e brasileiros intercâmbio acadêmico e realização de pesquisas sobre temas comuns aos países lusófonos.
Texto e fotos: Divulgação UFPA

sexta-feira, 30 de junho de 2017

A Casa Brasil África (CBA) torna público o cancelamento do Edital 001/2017 CBA/UFPA e seu resultado, baseada na identificação de falhas na redação dos itens 2 e 3 do referido instrumento, e em decorrência da observância de não cumprimento fiel do dispositivo 3.1.3. no ato de divulgação do cronograma de entrevistas. 
Além disso, a dispensa de solicitação de documentos comprobatório de matrícula de todo/as no ato de inscrição ensejou questionamento do resultado, o que impõe a necessidade de refazer todo o processo seletivo para assegurar a lisura na seleção, e a fidedignidade de vínculo institucional e frequência regular ao curso de graduação conforme exigido pela Universidade.
Em breve a CBA divulgará novo Edital e cronograma de realização de processo seletivo, para efetivação de Bolsista(s) à partir do mês de agosto.
O novo Edital será amplamente divulgado no Blog, Portal e Perfil de Facebook da CBA.

Prof. Dr. Hilton Pereira da Silva
Coordenador da Casa Brasil-África

OBS: Por problemas Técnicos esta Nota de Cancelamento do Edital 001/2017 CBA/UFPA só será publicada no Portal da CBA na segunda-feira, dia 03 de julho de 2017.

segunda-feira, 22 de maio de 2017


Convite 

Prezados/as, o Grupo de Estudos Afro-Amazônico, e o grupo de Pesquisa Roda de Axé convidam para uma série de atividades que terão inicio neste mês de maio até julho do ano corrente, como parte das atividades do nosso NEAB e do projeto de extensão Axé e Tambor.

1. Exposição Nós de Aruanda - O projeto Nós de Aruanda,artistas de terreiro, parte do Projeto de Extensão Axé e Tambor,  terá este ano dois espaços: a) de 23 de maio a 21 de junho - estaremos na galeria do CCJE do Pará, mais conhecida como Galeria do TRE, na Diogo Moia;  b) de 17 de junho a 17 de julho estaremos na Galeria Theodoro Braga com uma ampla programação.
Amanhã dia 23 de maio, a abertura será as 19:00 com show e venda de comidas afro-brasileiras (renda revertida para as comunidades religiosas). O acesso a exposição é gratuito. Convite em anexo

2. Também no 23 de maio, será lançada a Negro Vivo no Pará com a presença da Anistia Internacional. Auditório da UEPA, as 18:00hs. Convite em anexo

3. No dia 12 de maio foi lançada a campanha “75 dias de ativismo contra o racismo” que será lançada nas mídias sociais em 12 de maio. A iniciativa é de ativistas e de entidades de combate ao racismo no Pará. A campanha encerra em 25 de julho, Dia Internacional da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha, quando será realizada a II Marcha das Mulheres Negras em Belém. Em breve estaremos divulgando nossas atividades na UFPA em adesão campanha.

4. Nos dias 30, 31 de maio e 1º de junho será a entrega da Comenda Mãe Doca onde serão homenageadas várias pessoas que fazem a resistência da fé e ancestralidade afro-brasileira e afro-amazônica.  Convite em anexo

5. Teremos também, em data a ser marcada, a entrega dos certificados do Curso de Capacitação para os Mestres de Capoeira, em parceria com o IPHAM.

6. E a entrega dos certificados, em data a ser marcada, do Curso de Especialização Saberes Africanos e Afro-brasileiros na Amazônia, com recursos do Edital UNIAFRo 2014.

quinta-feira, 16 de março de 2017

A Casa Brasil-África da Pró-reitoria de Relações Internacionais, a Cátedra Brasil-África de Cooperação Internacional e o Grupo de Estudos Afro-Amazônico convidam:

Roda de Conversa em Comemoração ao Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial

Data e hora: 21 de março, Terça-feira. Início as 15:00 h
Local: Sala de Estudos do Laboratório de Antropologia Arthur Napoleão Figueiredo, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, UFPA

O Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e é celebrado sempre no dia 21 de março, em referência ao Massacre de Sharpeville, na África do Sul. Neste dia, em 1960, mais de 20.000 pessoas faziam um protesto contra a Lei do Passe, que restringia os locais por onde os negros (maioria da população) podiam circular nas cidades. A polícia interveio a mando do governo do Apartheid, atacou os manifestantes, e 69 pessoas foram mortas e outras 186 ficaram feridas. Em memória ao massacre, em 1963, a ONU conssagrou a data à luta contra o racismo e todas as formas de discriminação.

O Artigo I da Declaração das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial afirma que:

"Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos, e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública".

Embora não existam “raças” humanas diferentes, a discriminação racial existe, é praticada no cotidiano e sentida na pele por muitos brasileiros e estrangeiros que aqui moram. É necessário (re)conhecer suas nuances, as vezes sutis, as vezes abertas, para que se possa combatê-la onde e como ela se manifeste. Na Universidade, assim como em outros espaços da sociedade a discriminação também se faz presente, e dificulta enormemente o cotidiano e a vida de todas as pessoas que dela são vítimas.

Para lembrar a data e confrontar o racismo, a xenofobia e todas as formas de discriminação, a Casa Brasil-África (CBA), a Cátedra Brasil-África de Cooperação Internacional e o Grupo de Estudos Afro-Amazônico (GEAM), o Programa de Pós-graduação em Currículo e Gestão da Educação Básica (PPEB/UFPA) convidam a todos e todas para uma roda de conversa sobre o tema “Racismo, Discriminação e Xenofobia”, com a coordenação dos discentes Valdinei Gomes (Associação dos Estudantes Quilombolas da UFPA), Evelyn Xipaya e Jomara Tembé (Associação dos Estudantes Indígenas da UFPA), Lodinikki Davis (Associação dos Estudantes Internacionais-PEC-G da UFPA), e moderada pelas Professoras Joana Carmen Nascimento, doutoranda do ICED e Jacqueline Serra Freire, da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB). @s estudantes falarão sobre suas experiências na UFPA e no Pará e tod@s @s presentes poderão perguntar e contribuir com seus pontos de vista e experiências visando enriquecer o debate.

Não há necesidade de inscrição para participar do evento.

Para outros esclarecimentos visite o site e o blog da Casa Brasil-África

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Aberto o Edital para Auxílio de Viagem Acadêmica (AVA)


Locomover-se até outras cidades para participar de congressos, custeando passagens, hospedagem e alimentação, para muitos estudantes, é um grande obstáculo.  Por esse motivo, a Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Universidade Federal do Pará (UFPA) lançou o edital de concessão de Auxílio à Viagem Acadêmica (AVA). Para acessar o documento completo, clique aqui.
O valor do benefício alterna de R$ 500,00 a R$ 1.300,00, de acordo com o destino do estudante. As solicitações devem ser realizadas, no mínimo, 30 dias antes do evento. O edital permanecerá em vigor até o dia 16 de outubro de 2017.
Preferência - A proposta do benefício é custear passagens e ajuda de custo a estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação, preferencialmente em situação de vulnerabilidade socioeconômica, os quais obtiveram aprovação de trabalhos em eventos nacionais.
O edital também tem o objetivo de estimular a produção científica por meio da submissão de resumos, seja na forma de comunicação oral, pôster, seja  em oficinas em eventos acadêmicos.
Requisitos - Para participar, o estudante deve estar regularmente matriculado em um curso de graduação da UFPA e enquadrar-se nas seguintes condições: ter trabalho aprovado, comprovado por carta de aceite; apresentar Coeficiente de Rendimento Geral (CRG), a partir de 5; não ter pendências com a Proex; ter preenchido completamente o questionário socioeconômico do Sistema Gerencial de Assistência Estudantil (Sigaeste); possuir conta bancária própria.
Durante a solicitação do auxílio, efetuada via SIGAeste, o interessado deve apresentar a cópia dos documentos exigidos no edital. Acesse aqui a lista com a documentação.
Serviço:
Proex lança Edital para Auxílio de Viagem Acadêmica (AVA)
Data de vigência: Até o dia 16 de outubro de 2017.
Data de solicitação: No mínimo, 30 dias antes do evento.
Para realizar a solicitação, clique aqui.
Texto: Edielson Shinohara - Assessoria de Comunicação da UFPA.
Foto: Ascom-UFPA

Proex lança Edital de Apoio à Realização de Eventos Estudantis

A Pró-Reitoria de Extensão (Proex) da Universidade Federal do Pará (UFPA) tornou público o Edital de Apoio à Realização de Eventos Estudantis. As propostas devem ser efetuadas pelos Centros Acadêmicos (CAs) ou pelas demais entidades de representação estudantil dos cursos de graduação da Universidade, no prazo mínimo de 60 dias antes do evento. Confira as regras, aqui.
O benefício possui abrangência nas esferas locais, regionais, nacionais ou internacionais e é destinado para o intercâmbio didático-científico ou político-acadêmico. Os valores alternam entre R$5 mil e R$45 mil, conforme sua proporção. O edital possui vigência até o dia 30 de outubro de 2017.
Solicitação - Primeiramente, os solicitantes deverão aceitar as regras estabelecidas no Termo de Compromisso disponível na Plataforma Santos, clicando aqui. Em seguida, é preciso apresentar, via anexa no site, a documentação exigida no Edital. Os resultados serão publicados na Plataforma, no prazo máximo de até 20 dias úteis após a solicitação.
Auxílio - O incentivo é destinado ao financiamento de passagens nacionais para palestrantes e sua hospedagem durante o período do evento; alimentação dos discentes participantes do evento pelo Restaurante Universitário (RU); aluguel de equipamentos audiovisuais; contratação de serviços para divulgação e reprodução do evento e dos trabalhos técnicos; confecção de banners, faixas de divulgação, pastas para participantes, confecção de anais por meio eletrônico, material de consumo e serviços de sonorização.
Serviço
Edital de Apoio à Realização de Eventos Estudantis
Data de vigência: Até o dia 30 de outubro de 2017.
Data de solicitação: No mínimo, 60 dias antes do evento.
Submeta sua proposta, aqui.
Acesse aqui o Edital completo.
Texto: Edielson Shinohara - Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Adolfo Lemos

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Prointer realiza programa de acolhimento de estudantes estrangeiros

Estudar em outro país é uma escolha muito desafiadora. Contar com alguém que possa ajudar o estudante nesse período inicial de sua vida no exterior é de fundamental importância. Por isso a Diretoria de Mobilidade Acadêmica Internacional (MAI), vinculada à Pró-Reitoria de Relações Internacionais (Prointer), abre inscrições para quem deseja ser padrinho ou madrinha de um estudante internacional.
Podem candidatar-se para receber alunos estrangeiros: estudantes de graduação ou de pós-graduação; servidores técnicos e docentes vinculados à Universidade Federal do Pará. Os interessados devem fazer seu cadastro na MAI e, à medida que os estudantes forem chegando, os padrinhos e as madrinhas serão convocados. Os padrinhos e as madrinhas devem possuir domínio intermediário da língua do estudante, a fim de facilitar a comunicação com os novos afilhados. A inscrição no programa de padrinhos/madrinhas tem duração de um ano, uma vez que a UFPA recebe estudantes oriundos de diferentes países ao longo de todo o período letivo.
Funções dos padrinhos - Os novos padrinhos devem auxiliar seus afilhados e explicar questões como a localização da UFPA; linhas de ônibus que dão acesso ao Campus do Guamá; como se mover no campus; localização da Reitoria, da Prointer, do CIAC, do Restaurante Universitário, entre outras.
Também é muito importante que os padrinhos/madrinhas auxiliem em relação ao seu registro e documentação na Polícia Federal, já que o estudante deverá comparecer à PF no prazo máximo de trinta dias após sua chegada ao Brasil, para regularizar sua situação como estudante.
Sugestões - De acordo com a professora Marília Ferreira, coordenadora da MAI, é aconselhável que o novo padrinho incentive o estudante a falar português. “Eles precisam aprender a língua do país para acompanhar as aulas, fazer novas amizades, tornar-se mais independente, bem como sentir-se mais seguro para realizar as suas atividades”, explica.
Para mais informações, entre em contato com a Diretoria de Mobilidade Acadêmica Internacional por meio do e-mail mai.ufpa@gmail.com ou pelos telefones (91) 3201-7211 / 3201-7330.
Texto: Caio Maia – Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Arquivo/Ascom – Alexandre Moraes
Publicado em: 15.02.2017 18:00

Universidade cria órgão voltado para a Assistência Estudantil

Todos os dias mais de 50 mil pessoas frequentam o campus da Universidade Federal do Pará (UFPA) apenas em Belém. Professores, técnico-administrativos, visitantes e estudantes formam a comunidade universitária da Instituição, com destaque para os alunos que compõem a maioria do grupo. Pensando em todos eles, a Universidade acaba de criar um novo órgão voltado especialmente para a assistência estudantil.
De acordo com o reitor Emmanuel Tourinho, a administração superior da UFPA ainda está trabalhando para estabelecer os marcos institucionais do órgão criado pela nova gestão, mas a intenção é que a futura Superintendência de Assistência Estudantil, nascida a partir da Diretoria de Assistência Estudantil da Pró-reitoria de Extensão (Proex) da Universidade ajude no desenvolvimento das pessoas que “vivem” a UFPA e da própria Instituição em si.
“Criamos a Assessoria de Assistência Estudantil ou Superintendência de Assistência Estudantil, diretamente vinculada ao Gabinete do Reitor, com o propósito de aprimorar as políticas nessa área e garantir melhor suporte aos estudantes em condição de vulnerabilidade socioeconômica, a fim de que permaneçam na Instituição e concluam seus cursos com êxito”, detalha o reitor.
Apoio a alunos agora em um só lugar - A nova Superintenência de Assistência Estudantil congrega vários órgãos já ligados às ações que buscam ajudar na permanencia dos estudantes, especialmente da graduação, nos cursos. Além das coordenadoria de Integração Estudantil e da Coordenadoria de Assitência Estudantil, a nova superintendência também congregará a adminsitração dos Restaurantes Universitários (RUs), antes ligada à Pró-reitoria de Administração (Proad), e o antigo Núcleo de Inclusão Social (NIS), nascido na Pró-reitoria de Ensino de Graduação (Proeg).
O novo órgão será uma referência aos estudantes que precisam de apoio para garantir sua permanência no Campus e nos cursos. “As coordenadorias já existentes continuam estruturadas para oferecer serviços diversos e manter o funcionamento do Programa de Bolsas Permenência. Mas agora, também, poderemos reunir as políticas voltadas para a alimentação no campus, que é algo essencial para os estudantes, e ainda as ações especialmente pensadas e postas em prática para as pessoas com deficiência que são universitários da UFPA”, adianta José Maia, atual diretor do órgão que deve também dirigir a nova superintendência.
Garantir permanência de alunos é prioriadade - José Maia reforça, ainda, que a criação do órgão e a sua ligação direta com o Gabinete da reitoria reconhecem a importância do tema para a UFPA e o trabalho que, em várias frentes, já está em andamento, mas que precisa ser sempre aperfeiçoado para garantir condições para que os alunos da Universidade possam ter e estar em condições para estudar.
“Estamos, agora, em um novo nível e condição e poderemos gerenciar melhor a política de permanência dos nossos estudantes. A iniciativa da Reitoria é já uma resposta ao que foi proposto na última campanha, quando o reitor já pensava na importância da graduação e de apoiar os nossos alunos. Isso, também, considerando que mesmo quando eramos apenas uma diretoria já tinhamos demandas, recursos e estrutura de um órgão importante institucionalmente”, revela o futuro superintendente.
Por hora, os atendimentos ligados à assitência estudantil continuam sendo feitos nas sedes da Proex, RU e NIS, mas a administração da nova Superintendência deve ser transferida para outro espaço e os atendimentos aos alunos possivelmente serão concentrados em pavilhões de aula do Campus Básico, após a desocupação dos mesmos e transferência das aulas para o novo prédio de aulas, sediado próximo à Biblioteca Central da UFPA.
Texto: Glauce Monteiro – Assessoria de Comunicação da UFPA
Foto: Arquivo/Ascom- Alexandre Moraes
Publicado em: 15.02.2017 18:05

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Educação em Angola:realidade,desafios e perspectivas



No ultimo dia 06 de fevereiro a Casa Brasil-África (CBA) da UFPA realizou, o Colóquio “Educação em Angola: realidade, desafios e perspectivas”, ministrado pela professora doutora Juliana Canga, do Instituto Superior de Serviço Social (ISSS) de Luanda, Angola.
Coordenada pelo professor doutor Hilton Silva (PPGSA/IFCH), a Casa Brasil-África tem investido no diálogo com pesquisadores de instituições de países africanos na perspectiva de fortalecimento de parcerias, desenvolvimento de projetos acadêmicos em rede e criação do Mestrado em Estudos Africanos e Afro-diaspóricos.
O Colóquio contou com a coordenação da Doutoranda Joana Carmen do Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Educação (PPGED) e da professora doutora Jacqueline Serra Freire do Grupo de Pesquisa em Educação e Cooperação Sul-Sul (ELOSS) da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), atualmente em estágio pós-doutoral no Programa de Pós-graduação em Currículo e Gestão da Escola Básica (PPEB), esse último envolvido no apoio ao Colóquio.
Realizado no auditório do Instituto de Ciências da Educação (ICED), o Colóquio contou com a presença da Coordenadora do PPGED, professora doutora Vera Jacob, da Coordenadora da Faculdade de Educação, professora doutora Selma Pena. O Colóquio foi organizado pela casa Brasil-África integradamente com o Grupo de Pesquisa em Trabalho e Educação (GEPTE), liderado pelo professor doutor Ronaldo Marcos de Lima Araújo, também coordenador do PPEB, e o Grupo de Pesquisa em Educação do Campo na Amazônia (GEPERUAZ), liderado pelo professor doutor Salomão Mufarrej Hage.
Palestra – Em sua palestra a pesquisadora Juliana Canga (ISSS/Luanda) apresentou o contexto histórico, econômico, político e social de Angola, com ênfase na luta pela libertação e independência na década de 1970 ao momento presente, situando o país na geopolítica da África e o complexo cenário nacional. A partir de então a abordagem foi focalizada na realidade educacional de Angola problematizando as reformas educativas, os princípios gerais da educação e do ensino angolano, o sistema educacional do país, seus desafios e perspectivas. Os argumentos da pesquisadora angolana reafirmaram o quanto Angola e Brasil estão irmanados pela história, cultura e educação.
Participações – turmas de Pedagogia do Parfor e do Campus de Belém prestigiaram o Colóquio e participaram ativamente do debate pautando questões sobre diversidade, gênero, realidade da educação superior em Angola. A doutoranda do IEMCI, Ruth Buza, angolana, teve participação destacada no debate. Bolsista e Colaboradores da Casa Brasil-África, beninense Serge Houegnon, Henrique Vieira e a angolana Cleide Patricia de Sousa Fernandes marcaram presença e contribuíram no Colóquio.
Fonte:http://casaafricabrasil.blogspot.com.br/