sexta-feira, 27 de março de 2015

Seminário reúne mulheres negras do Pará.

Racismo, violência e bem viver serão debatidos no Seminário Estadual de Marcha das Mulheres Negras que será realizado no dia 28 de março, de 8h as 17h30h no auditório do Museu Paraense Emílio Goeldi, em Belém. Além de rodas de conversa, a programação do seminário ainda conta com oficinas de turbantes e de confecção de bonecas Abayomi, exibição de documentários, a exposição ParÁfrica e a I Mostra da Feira Feminista Negra e Solidária. As inscrições estão sendo realizadas pelo e-mail mmnegraspara@gmail.com.

A expectativa é que 100 mulheres participem do evento, que é promovido pelo Comitê Impulsor do Pará da Marcha das Mulheres Negras 2015. Durante a parte da manhã serão realizadas rodas de conversa. Os debates permanecerão à tarde, mas dividindo o tempo com as oficinas e exibição de documentários.

As participantes ainda poderão conferir a Exposição ParÁfrica, um projeto fotográfico autoral que busca evidenciar a beleza negra dentro dos seus contextos diários, ressaltando a diversidade cultural do Pará. Ainda há a I Mostra da Feira Feminista Negra e Solidária, que comercializará produtos da economia solidária de mulheres paraenses.

A Marcha das Mulheres Negras 2015 – Contra o Racismo, a Violência e pelo Bem Viver vai ser realizada em Brasília, no dia 18 de novembro e reunirá mulheres negras de todo o país. A expectativa é que o Pará leve uma delegação com centenas de mulheres.

PROGRAMAÇÃO (SUJEITA A MUDANÇAS)
8h as 17h - Exposição Fotográfica ParÁfrica e I Mostra da Feira Feminista Negra e Solidária
8h – Credenciamento
8h:30min. – Abertura
9h às 10h30. – Roda de conversa - Resistência ao Racismo Institucional de Mulheres Negras
10h30 às 12h – Roda de conversa – Violência Contra Mulher Negra
12h às 13h - Intervalo
13h às 15h – Oficinas de turbante e de confecção de bonecas abayomi/ exibição de documentários/roda de capoeira.
15h às 16h30 – Roda de conversa – Mulheres Negras e o Bem Viver
16h30 às 17h30 – Ações de mobilização para a marcha e de captação de recursos para delegação estadual.

quarta-feira, 25 de março de 2015

NOTICIAS: Cultura africana será incluída em colegiado nacional

Gestão Cultural

Objetivo é incluir também representantes da capoeira, cultura alimentar, hip hop e LGBT no Conselho Nacional de Política Cultural


O modelo do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) deverá ser revisado após pedido da secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Márcia Rollemberg. Ela defendeu, nessa quarta-feira (28), a revisão para incluir novos setores culturais no colegiado. 

O objetivo é incluir segmentos da Cultura dos Povos e Comunidades tradicionais de matriz africana e de outros setores que ainda não foram contemplados. "Vamos ampliar as cadeiras de representação do plenário do CNPC para a capoeira, cultura alimentar, hip hop, cultura LGBT, cultura de matriz africana e cultura quilombola", afirmou a secretária.

A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Helena Bairros, participou da reunião e destacou a importância do conselho na inclusão social. "Quem mais se beneficiou foi o setor negro da comunidade. Esse processo foi intensificado através de políticas afirmativas, com o uso das cotas. Isso proporcionou um número maior de negros nas universidades brasileiras. O que amplia a crença da população negra nas oportunidades sociais e gera um sentimento de pertencimento", afirmou a ministra.

Participaram também do debate o secretário do CNPC, Bernardo Mata Machado, o suplente da Secretaria Estadual da Promoção Social, Pedro Vasconcellos, e representantes da sociedade civil.
Fonte: Ministério da Cultura

SELEÇÃO DE BOLSISTA NA ÁREA DE INFORMÁTICA PARA A CASA BRASIL-ÁFRICA

A Casa de Estudos Brasil-África (CBA/PROINTER) e a Diretoria de Apoio e Integração Estudantil (DAIE/PROEX) da Universidade Federal do Pará tornam público a realização de seleção de bolsista na área de informática.

Requisitos:

1- De preferência ser  aluno (a)s africano (a)s ou caribenho (a)s.
2- A partir do quarto (4) semestre.
3- saber realizar a nanutenção de homepages, blogs, redes sociais e equipamentos de informática.
4- Da suporte aos eventes a serem realizados pela CBA.

O período de inscrição será de 25 de março a 10 de abril de 2015, das 14 horas às 18 horas.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Casal cria série fotografando a filha de 5 anos vestida como ícones negras

Para mostrar a filha de apenas 5 anos o valor de ser mulher e de ser negra, o casal Marc Bushellee Janine Harper usou toda a sua criatividade e fotografou a menina vestida como algumas das mulheres negras que foram ícones em seu campo de atuação.
Como resultado, Lily Bushelle, a menina, foi retratada à semelhança de políticas a astronautas, todas mulheres fortes e que, mesmo vivendo em uma sociedade repleta de preconceitos, foram capazes de conquistar respeito e admiração de todos a sua volta.
“Decidimos focar em mulheres que foram de alguma forma pioneiras, seja no entretenimento, literatura ou espaço. Esperamos transmitir confiança para nossa filha, para que ela se sinta a vontade em se aventurar em um território inexplorado”, conta Bushelle.
Veja os retratos feitos até então:
lily1
Grace Jones, modelo e música.
lily2
Dr. Mae Jemison, primeira mulher negra a viajar para o espaço. 
lily3
Bessie Coleman, primeira mulher negra a pilotar um avião nos Estados Unidos. 
lily4
Josephine Baker, cantora e dançarina. 
lily5
Michelle Howard, primeira mulher a chegar à categoria de almirante quatro estrelas na Marinha dos Estados Unidos. 
lily6
Toni Morrison, primeira mulher negra a receber o prêmio Nobel de Literatura. 
lily7
Shirley Chisholm, primeira mulher negra a ser eleita no congresso americano. 


Todas as fotos © Marc Bushelle Photography


PPGEO consolida parceria com a Universidade de Cabo Verde

PPGEO consolida parceria com a Universidade de Cabo Verde

O Programa de Pós-Gradução em Geografia (PPGEO) e a Pró-Reitoria de Relações Internacionais (Prointer) da UFPA promoveram nesta segunda-feira (16), no auditório do Instituto de Filosofias e Ciências Humanas (IFCH), palestra com a professora doutora Judite Nascimento, reitora da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV). A exposição da professora, que é geógrafa, teve como tema “O ordenamento do território e o planejamento urbano na cidade de Praia de Cabo Verde: condicionantes e estratégias”. A professora Judite Nascimento está em Belém cumprindo uma agenda de visitas na UFPA como parte do acordo de cooperação entre a instituição e a Uni-CV, firmado em 2009.
Durante a palestra, a professora Judite Nascimento apresentou as configurações da ocupação do território na cidade de Praia, capital de Cabo Verde, apontando os traçados da malha urbana nos diferentes eixos de expansão. No município, mais de 60% do espaço é ocupado de maneira informal e há grande dificuldade em aprovar e concretizar planos urbanísticos e de gestão territorial, em parte pela indefinição sobre propriedades de terras, em parte pela prioridade dada às áreas planificadas, em detrimento das áreas chamadas de “ocupação espontânea”.
Parceria profícua - No IFCH, a parceria entre as duas instituições iniciou com o Mestrado em Segurança Pública e vem sendo ampliada ao longo dos anos. Agora, conta com um intercâmbio entre a universidade cabo-verdiana e o PPGEO. Em novembro de 2013, os professores do Programa de Pós-graduação em Geografia (PPGEO), Dr. Christian Nunes da Silva, Dr. João Marcio Palheta da Silva e Dr. Clay Anderson Nunes Chagas realizaram uma missão de cinco dias, para o reconhecimento das atividades acadêmicas desenvolvidas na Universidade de Cabo Verde (UniCV) e a busca da criação de programas e projetos conjuntos com os professores daquela universidade.
A missão foi financiada com recursos oriundos do Programa de Apoio à Cooperação Interinstitucional (PACI) da Pró-reitoria de Pesquisa da UFPA. Como resultado das reuniões em Cabo Verde, foi firmado um acordo para o intercâmbio de professores e a abertura de vagas para que alunos daquele país africano possam cursar Mestrado em Geografia na UFPA, além da publicação conjunta de artigos e livros, entre outras, sempre objetivando a promoção de uma troca de relações entre as universidades.
O vice-coordenador do PPGEO, professor Christian Nunes, explica que o intercâmbio entre essas instituições é essencial para criar uma possibilidade real de ampliar a parceria entre Cabo Verde e Brasil, em especial nas pesquisas em ordenamento de território, que é uma linha de pesquisa do PPGEO, permitindo a percepção de similaridades e a solução de problemas nessa temática, entre a cidade de Belém e a capital de Cabo Verde, Praia, gerando troca de conhecimento e buscando a melhoria da qualidade de vida nos dois países. Além disso, o fortalecimento das relações de capacitação auxiliará na geração de profissionais capacitados na gestão do território nos dois países.
A partir deste ano, a professora Judite Nascimento passa a integrar o corpo docente do PPGEO. No final do ano de 2014, foi elaborado um edital especial para alunos carboverdianos. A seleção ocorreu em Cabo Verde e teve um aluno aprovado para cursar o mestrado em Geografia da UFPA. O aluno foi contemplado com uma bolsa CAPES e está integrado ao Programa. O objetivo é selecionar anualmente um aluno daquele país para cursar o mestrado do PPGEO. “Também propomos a mobilidade de docentes de lá, que possam vir para cá lecionar módulos, e vice-versa”, complementa a reitora.
Durante a mesa de abertura anterior à palestra, o diretor do IFCH, professor Nelson Souza Jr., enfatizou que o acordo estabelecido entre as universidades, já consolidado na formação de pessoas, alcança um novo patamar. “A partir de 2015, passa a vigorar um outro tipo de cooperação, na co-produção de conhecimento e tendo Cabo Verde como protagonista. Temos anseios ambiciosos com esse programa interinstitucional internacional”, comemora.
Novas áreas -  Além das áreas de Segurança Pública e Geografia, tem sido propostas outras frentes de parceria entre as instituições. De acordo com o professor Marcelo Galvão, assessor da Prointer, ações para os próximos anos incluem áreas como educação à distância, pesquisa e ensino de história da África, estudos sobre violência baseada no gênero, empreendedorismo universitário, incubação de empresas, inovação tecnológica e propriedade intelectual. “É pertinente também fazer referência a um plano de configuração, no IFCH, de um mestrado em estudos afroatlânticos e ou/afrodiaspóricos, que aborde a literatura africana de expressão portuguesa e suas influências no contexto histórico e atlântico”, informa Galvão. A reitora da Uni-CV também ressalta a possibilidade de intercâmbio entre a recém-criada Escola de Mar, em Cabo Verde, e o campus de Bragança da UFPA.
Texto: Ádria Azevedo – Ascom IFCH
Fotos: Adolfo Lemos

UFPA recebe visita da reitora da Universidade de Cabo Verde

UFPA recebe visita da reitora da Universidade de Cabo Verde

A Universidade Federal do Pará (UFPA) recebeu, nesta segunda-feira, 16 de março, a visita da reitora da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), professora Judite Nascimento. Acompanhada pelo assessor da Pró-Reitoria  de Relações Internacionais (Prointer), professor Marcelo Galvão, a reitora, que esteve com uma agenda de atividades na Instituição, participou de uma reunião com o reitor da UFPA, professor doutor Carlos Maneschy, para tratar, entre outros assuntos, de parcerias acadêmicas e projetos de mobilidade estudantil e de docentes.
A Universidade de Cabo Verde tem atualmente cerca de cinco mil estudantes e já possui parceria com a UFPA. “Para nós, é muito importante esta parceria, pois elegemos a internacionalização como uma prioridade, e nós queremos, tão logo, consolidar os projetos que temos e ampliar ainda mais esse canal. E com a UFPA, queremos dinamizar as atividades de mobilidade dos discentes e docentes, desenvolver projetos de pós-graduação conjunta, sobretudo nas áreas de segurança pública, geografia, áreas do mar e turismo”, pontuou a reitora da Uni-CV.
Cooperação - Segundo o reitor da UFPA, a possibilidade de cooperação com parceiros de várias instituições de ensino superior e de pesquisa locais, nacionais e internacionais tem um valor muito alto nas atividades acadêmicas: “Esta possibilidade de estabelecer cooperações internacionais tem sido, para a universidade, um dos seus objetivos principais. Nós queremos agora ampliar o  estreitamento das relações com essas instituições. Acreditamos que, com a visita da reitora, vai se abrir um campo maior para melhorar nossas relações de forma cooperada. Nós temos aqui (UFPA) cada vez mais estudantes e professores participando de programas de mobilidade, tendo experiências extraordinárias no campo de suas formações e, portanto, junto à sua missão institucional, agregando cada vez mais capacidade.”
Palestra – A convite do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO) da UFPA, a reitora de Cabo Verde ministrou a palestra “O Ordenamento do Território e o Planejamento Urbano na Cidade de Praia de Cabo Verde: condicionantes e estratégias”, e mostrou os resultados de suas pesquisas em Geografia Urbana. O evento foi realizado no auditório do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Saiba maisaqui.
Nesta terça-feira, 17, a reitora visita a Agência de Inovação Tecnológica da UFPA - Universitec para futuras parcerias sobre empreendimento.
Sobre a visitante - A professora Judite  Nascimento, reitora da Uni-CV, é geógrafa licenciada pela Universidade Estatal de Kharkov (Ucrânia), doutora pela Université de Rouen (França) em “Géographie, Aménagement de l’espace, urbanisme” e mestre em “Geografia Humana e Planejamento Regional e Local” pela Universidade de Lisboa. Atualmente, é membro do Conselho Científico para as áreas de Ciências Exatas, presidindo a Comissão Científica para as áreas de Geografia e Ciências da Terra; desde 2012, compõe o Conselho Diretivo da Comissão de História da Geografia da União Geográfica Internacional.
Texto: Brenda Maciel – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre Moraes, Adolfo Lemos e reprodução/Google

quinta-feira, 5 de março de 2015

Calouros africanos são recepcionados na UFPA

Calouros africanos são recepcionados na UFPA

Com o objetivo de recepcionar e instruir os calouros africanos, a Casa de Estudos Brasil-África da Universidade Federal do Pará (UFPA) realizou uma programação para dar as boas-vindas aos recém-universitários advindos do continente africano. A recepção dos 17 novos estudantes teve início na manhã desta terça-feira, 3 de março, no Laboratório de Antropologia, localizado no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), Campus Básico da Universidade.
A programação foi iniciada com uma conferência de abertura, na qual o professor Hilton Pereira da Silva, coordenador da Casa Estudos Brasil-África/UFPA, apresentou informações gerais da Instituição para os calouros africanos.  O docente ressaltou que há um enorme desconhecimento do Brasil sobre a África e enfatizou a importância dos alunos estrangeiros para a Instituição. “A vinda dos alunos é importante e é uma vitória ideológica da necessidade de integrar a Amazônia com o restante do mundo. A presença dos calouros africanos nos ajuda a compreender melhor a África, já que estes compartilham conosco um pouco de sua experiência vivida lá”, disse Hilton Silva.
Participaram, ainda, da conferência de abertura a pró-reitora de Ensino de Graduação (Proeg), Lúcia Harada; o docente Raimundo Jorge de Jesus, coordenador da Cátedra Brasil-África/UFPA; e Apolinário Alves Filho, pesquisador do Grupo de Estudos Afro-Amazônico/UFPA (GEAM). Na programação vespertina, uma apresentação do Serviço Psicoeducacional da Diretoria de Assistência Estudantil da Pró-Reitoria de Extensão (DAIE/Proex) foi realizada pela diretora Ana Clotildes Colares Gomes; em seguida, o site da Casa de Estudos Brasil-África foi apresentado para os calouros.
Aprendizados - O calouro de Economia Serge Houegnon, vindo de Benin, afirmou que escolheu a UFPA por oferecer muitos aprendizados na prática para os estudantes, ofertando muitos estágios que considera importante para a formação acadêmica. “Lá, em Benin, tem muita teoria e pouca prática e aqui, na UFPA, temos mais acessibilidade para falar com os professores”, observou o recém-graduando.
Acolhimento e convivência - O professor Raimundo Jorge de Jesus deu boas-vindas aos calouros e explicou que a UFPA foi a primeira universidade do País a ter uma Casa Brasil-África para acolher e receber os estudantes africanos. O docente destacou que “a Casa de Estudos Brasil-África, além de acolhimento, é um espaço de convivência. A UFPA espera aprender muito com vocês. Precisamos conhecer mais a África, que tanto contribuiu com a arte, a religião e a estética para o nosso país.”
Oportunidades - Já Eliane Soares, procedente de Cabo Verde e aprovada no curso de Odontologia, soube que a UFPA tem ótimos professores e que recebe muito bem os estudantes estrangeiros. A caloura ressaltou, também, que muitas oportunidades são oferecidas por meio dos laboratórios de ensino e pesquisa. Eliane complementou dizendo que “os estudantes saem daqui muito preparados. Meu interesse foi maior quando meus amigos de Cabo Verde que estudam aqui me deram boas referências dos professores, além de ter boas bibliotecas na Universidade.”
PEC-G - Os 17 estudantes africanos chegaram à UFPA por meio do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G), que o governo federal brasileiro mantém em parceria com os países em cooperação diplomática. Os estudantes africanos em sua maioria vêm da República do Congo, República Democrática do Congo, Guiné Bissau, Angola, Benin, Gana, Cabo Verde e Namíbia.
Casa Brasil-África – As atividades desenvolvidas na Casa de Estudos Brasil África/UFPA têm o objetivo de apresentar uma nova imagem da África, promovendo a formação profissional para a inclusão da questão racial na educação e as contribuições do direito para as relações raciais dos alunos africanos, assim como oferecer elementos para a compreensão da contribuição dos povos africanos na formação do Brasil moderno.

Texto: Rafael Rocha – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Divulgação / evento